sábado, 28 de julho de 2012

Estreia: Batman - The Dark Knight Rises

Poster Oficial
Olá meus amigos leitores, como vai a vida? Aqui tá tudo numa boa, tirando o tédio mortal que está minha vida. Anyway...
Dia 26, 00:01, fui ver Batman - The Dark Knight Rises, meu lado geek falou mais alto e eu adoro ir em estreias de filmes. O post de hoje é sobre o filme.

Ficha Técnica:
Diretor: Christopher Nolan
Elenco: Christian Bale (Batman/ Bruce Wayne), Michael Caine (Alfred), Gary Oldman (Comissário Gordon), Anne Hathaway (Mulher Gato/ Selina Kyle), Tom Hardy (Bane), Marion Cotillard (Miranda), Joseph Gordon-Levitt (Blake), Morgan Freeman (Fox)
IMDb - Trailer
Créditos a DC Comics - Batman é uma criação de Bob Kane


Sinopse: Oito anos após a ameaça do Coringa e da tragedia com Harvey Dent, Batman desapareceu com a fama de assassino e Gotham parece ser o melhor lugar para morar por causa da lei com o Ato Anti-Criminal Dent. Mas, com o aparecimento de Bane, um terrorista radical quase que anarquista vai tirar Bruce Wayne da aposentadoria para poder salvar Gotham mais uma vez, mas ele acaba descobrindo da pior maneira que Bane é um dos piores vilões que ele enfrentou e que vai ter que rebolar para vencer o vilão da máscara.

SPOILER ALERT!
Minha Humilde Opinião: Já de início eu fiquei com receio de um maluco entrar dando tiro na estreia do Batman igual aquela peste fez nos EUA (Vai que essa moda pega aqui?! Sei lá!) Mas vamos ao filme que é o que interessa. O filme arrasa! Eu não sou muito fã do Christian Bale não (acho ele nojento e antipático) e acho ele, depois do George Clooney, o Batman mais sem sal, mas ele ganhou pontos comigo, tanto pelo filme quanto pelo gesto que ele fez de ir na cidade onde aconteceu o tiroteio (o que, pra mim, ele não fez mais do que a obrigação dele mas ele foi fofo fazendo isso) e, mesmo eu não achando ele bonito, eu suspirei por ele em certos momentos. Eu suspirei mais pelo Gary Oldman (Comissário Gordon), mas isso é porque eu amo Harry Potter então não vale.
Uma diva, que sempre é diva é a Anne Hathaway como Mulher Gato/ Selina Kyle. Ela arrasou de bad girl e, usou umas roupas sensacionais e cada sapato (eu sempre reparo no figurino de todos os personagens), fora o jeito sarcástico e debochado dela.
Apesar da pequena participação, Michael Caine tem uma presença incrível, mas eu também sou suspeita para falar porque eu amo o Michael Caine (eu amo o elenco inteiro, menos o  Christian Bale).
Joseph Gordon-Levitt foi divino interpretando o policial Blake, que vai se tornar o Robin (por isso o alerta de spoiler lá em cima). Ele era amigo do Heath Ledger - eles fizeram 10 Coisas Que Odeio Em Você juntos - e, em várias horas eu lembrei da atuação do Heath na atuação do Joseph, além de eu achá-lo uma fofura.
Tom Hardy arrasou como Bane. Ele é um vilão tão f**a que ele brincou de dar porrada no Batman. E ele já sabia que o Batman era o Bruce Wayne. Ah, ele não quebra a coluna do Batman para ele ficar paraplégico, ele desloca a coluna dele, então ele volta a andar quando tá na prisão que o Bane ficava. Mas, o Batman apanha muito pra ele, sério mesmo.
Agora, a reviravolta o do filme é a Marion Cottilard . Ela que é a grande vilã. E você precisa assistir o primeiro filme pra saber de quem ela é filha porque, na verdade, ela queria vingança. Você nunca imaginaria ela como vilã! Surpreendeu a todos dentro do cinema (eu só escutava "Caramba", "Ca***ho" e outros palavrões).
O Nolan é um senhor diretor. As cenas de ação, as lutas são todas perfeitas e impecáveis; os carros e as motos. O filme dá espaço até para umas risadas. E, mais uma coisa que eu presto atenção é na Trilha Sonora (fazer o quê?) e essa trilha é do Hanz Zimmer, que participou da trilha sonora de Rei Leão e outros filmes famosos.

Eu provavelmente vou ver o filme de novo para prestar mais atenção ainda e recomendo a todos.


Batman & Bane



segunda-feira, 23 de julho de 2012

Baú das Séries: Emma

Emma Woodhouse - Romola Garai
Olá meus amigos leitores, como vão?
Como todos sabem sou apaixonada por filmes/séries/livros/fotos/etc de época (ou provençal) e também sou muito fã da Jane Austen. Isso começou depois que eu vi "Orgulho e Preconceito" com a Keira Knigthley e com o Matthew MacFayden. Aí me apaixonei por esse universo literário e de adaptações e comecei a procurar séries e filmes relacionados. Não só isso, muitos atores que eu gosto ( a maioria são britânicos), vários que fizeram Harry Potter (minha outra paixão), atuaram nessas séries e foi mais um incentivo para eu assistir.
Uma das primeiras séries que eu vi foi Emma, produzida pela BBC - o que seria de mim sem a BBC!? - em 2009 e é dela que eu vou falar hoje.

Sinopse: Emma Woodhouse é uma garota que tem tudo que uma garota dessa época poderia querer: um pai fofíssimo, muitos amigos e tem uma boa situação financeira. Só tem um probleminha: ela adora arranjar casamentos para os outros pois, ela mesma, não quer casar. Ela pode até acertar, mas vai errar muito por confundir os interesses e sentimentos das pessoas. Seu maior interesse é casar sua amiga Harriet Smith, mas ela acaba se interessando por George Knightley, concunhado de Emma (concunhado é o cunhado do irmão/irmã, certo?) e Emma vai perceber que, ela tem sentimentos por ele e que a ideia do casamento não é tão ruim.

Minha humilde opinião: Tem horas que você acha a Emma insuportável, mimada, manipuladora etc etc, mas você vai se apaixonando por ela ao longo da série. Acontecem muitas reviravoltas e surpresas e ela vai percebendo seus defeitos  e erros - coisa bem comum nos romances da Jane. O mesmo acontece com o George. Ele pode ser chatinho no começo, mas sua opinião muda e você vê que ele sempre teve alguma coisa por ela (sabe aquilo: Você só perturba quem você ama? Bem assim!). Eu fui me apaixonando pela série a cada minuto que eu via e me apaixonando pelos personagens e atores.

Elenco: Romola Garai - Emma, Michael Gambon - Mr. Woodhouse, John Lee Miller - George Knightley, Louise Dylan - Harriet Smith, Rupert Evans - Frank Churchill.

Trailer:



Se alguém quiser, eu depois falo aonde eu baixo porque, infelizmente, não tem canal da BBC aqui, se quiser comprar dá pra comprar na SaraivaSubmarino e outras lojas on line. Também fizeram um filme com a Gwyneth Paltrow, mas eu nunca vi. Eu recomendo muito a série, como também recomendo o livro, mas isso é assunto para outro dia. Um grande beijo, uma ótima semana!

Emma e Mr. Knightley



domingo, 8 de julho de 2012

The Amazing Spider Man

Olá galerinha, como é que vai a vida?
Desde a última vez que eu postei Tom Cruise e Katie Holmes eram casados, mas Here We Go!
Fui ver The Amazing Spider Man (O Espetacular Homem Aranha) e vou dar minha humilde opinião sobre o filme...

THE AMAZING SPIDER MAN - 2012
Diretor: Marc Webb
Elenco: Andrew Garfield, Emma Stone, Rhys Ifans, Martin Sheen, Denis Leary ...
No IMBd: O Espetacular Homem Aranha
Trailer

Depois da trilogia estrelada por Tobey Maguire (sinônimo de antipatia, pelo que dizem), que terminou com um filme extremamente mediano, a história de Peter Parker volta; agora estrelada por Andrew Garfield (lindo maravilhoso, que fez A Rede Social) e vai "recontar" a história do Homem Aranha.
Nessa trama, vai mostrar a história da família de Peter Parker,o segredo que o pai dele escondia e como ele foi morar com os tios. Como sempre, ele é excluído e zoado e fracote e apaixonado. - Minha primeira crítica, não é a Mary Jane, é uma tal de Gwen Stacy (não li o hq, mas nunca ouvi falar dessa garota na vida do Spider Man).
Mas eis como tudo começa: depois de uma inundação, Peter encontra uma velha maleta do pai, onde acha uma foto dele com um amigo de trabalho, Dr. Connors (interpretado por Rhys Ifans, o pai da Luna Lovegood, Xenophilius) e uma arquivo escondido com umas coisas esquisitíssimas (biologia + algoritmo - não sei nenhum dos dois). Ele então resolve pesquisar sobre e acaba se infiltrando na Oscorp, empresa em que o Dr. Connors trabalha e Peter resolve ajudar o Dr. com as pesquisas não terminadas, passando dados da pesquisa que tinha dentro da maleta do pai - grande burrada. Lá dentro ele é picado por uma aranha. E pá! Começa a transformação dele - que é muito legal por sinal.
O tio dele morre assassinado (isso não tem como mudar né!) e ele fica que nem louco atrás do cara e vai catando todos os vilões parecidos com o assassino por New York. Ele acaba prendendo vários criminosos e  acaba virando um criminoso (a polícia dessas histórias tem essa mania, de odiar quem ajuda a eles). Nesse meio tempo ele acaba ficando com a Gwen e rola aquele romancezinho fofo que a mulherada adora.
O Dr. Connors fica obcecado pela pesquisa - porque ele não tem um braço e quer regenerá-lo - e acaba injetando o soro que eles dois criaram nele mesmo - por causa de uma pressãozinha básica do vilão do próximo filme - e acaba virando O Lagarto, que é mais um alter ego do Dr. Connors. Então Peter tem que lutar contra ele para salvar New York do Lagarto.
O filme é muito legal, eu acho que esse filme resgatou o Homem Aranha que eu via nos desenhos quando era mais nova - desleixado como Peter e debochado como Spider Man. Também gostei do dispositivo que solta teia que ele criou, que também lembra os desenhos E, um comentário pessoal, o Andrew Garfield é um fofo lindo que ficou um arraso com aquela roupa coladinha de Homem Aranha.



Espero que vocês assistam e que gostem. Quem já viu, o que achou?
Um beijão e boa semana!

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Resenha: Lições de Vida das Grandes Heroínas da Literatura

Quem é vivo sempre aparece! Aqui estou depois de séculos parar postar de novo. Não é falta de tempo, é falta de assunto. Enfim, I'm baaack!
Vou falar de um livro que me interessou muito quando eu li sobre em ele em alguns dos sites que eu frequento sobre Jane Austen. Aqui vai:

BLAKEMORE, ERIN - LIÇÕES DE VIDA DAS GRANDES HEROÍNAS DA LITERATURA.
ISBN: 978-85-7734-247-1
EDITORA: CASA DA PALAVRA
PÁGINAS: 205
EDIÇÃO: 2012



Antes de tudo: o que você aprendeu com cada personagem que conheceu na sua jornada literária? Às vezes, o menor personagem nos ensina mais coisado do que o personagem principal; e isso vai de pessoa para pessoa. Erin pegou o que as heroínas clássicas ensinaram a ela e reuniu tudo em um livro. Por exemplo: o que Lizzie Bennet, de Orgulho e Preconceito te ensinou? Para a autora, Lizzie ensinou a ela Identidade. Scarlett O'Hara, ensinou a Luta.
Não só das personagens, o livro vai falar das suas autoras, da época que viveram, sua vida pessoal, do impacto que tiveram na sociedade, o que é muito interessante se analisarmos historicamente. A autora vai mesclando o que cada personagem tem e o que cada autora foi colocando dela mesma em suas criações.  Na minha humilde opinião, acho que a autora quis dizer que tais personagens são o alter ego de suas criadoras. Em uma das personagens citadas, Laura Ingalls, ela é autora e personagem.
Uma parte interessante do livro é que, ao final de cada capítulo, tem uma indicação de Erin em quando ler o livro e as irmãs literárias das personagens.
Enquanto você lê o livro, acaba tendo vontade de ler a obra que a tal personagem está. Eu já tinha vontade de ler A Cor Púrpura; ela acabou aumentando depois de ler o capítulo sobre a Celie.
 Vou colocar a lista das personagens e do que elas ensinaram a autora para vocês darem uma olhada.

  1. Lizzy Bennet, Orgulho e Preconceito - Identidade. (criadora: Jane Austen)
  2. Janie Crawford, Seus olhos Observam Deus - Fé (criadora: Zora Neale Hurston)
  3. Anne Shirley, Anne - Felicidade (criadora: Lucy Maud Montgomery)
  4. Celie, A Cor Púrpura - Dignidade(criadora: Alice Walker)
  5. Francie Nolan, Laços Humanos - Laços de Família (criadora: Betty Smith)
  6. Claudine, Claudine - Indulgência (criadora: Sidonie-Grabrielle Colette)
  7. Scarlett O'Hara, E O Vento Levou - Luta (criadora: Margaret Mitchell)
  8. Scout Finch, O Sol É Para Todos - Compaixão (criadora: Harper Lee)
  9. Laura Ingalls, O Longo Inverno - Simplicidade  (criadora: Laura Ingalls Wilder)
  10. Jane Eyre, Jane Eyre - Determinação (criadora:Charlotte Brontë)
  11. Jo March, Mulherzinhas - Ambição (criadora: Louisa May Alcott)
  12. Mary Lennox, O Jardim Secreto - Mágica (criadora: Frances Hodgson Burnett)



É um livro gostoso de ler, li bem rápido e acabei fazendo uma heresia literária: marquei com lápis as partes que eu mais gostei. Como eu não vou me desfazer do livro, eu fiz isso, mas isso é muito muito errado! Não façam isso! Certas partes foram tocantes em mim e eu não pude deixar de marcar. Aqui um pedaço:
"Como mulheres, somos protagonistas de nossos romances pessoais. Somo convocadas a sermos as heroínas de nossas próprias vidas, e não personagens coadjuvantes." 
Lindo não?

Bom, espero que gostem do livro se um dia forem ler. Eu gostei bastante!
Um beijo!






quarta-feira, 16 de maio de 2012

Resenha: O Mundo Secreto de Johnny Depp

Olá amiguinhos, como vão? Aqui no Rio está um friozinho muito bom.
O Mundo Secreto de Johnny Depp -
Nigel Godall - 2010.
Então, acabei de ler hoje, no ônibus a caminho da faculdade mais um livro e, como estou aprendendo a fazer resenhas, minha aula de Teorias e Práticas Discursivas de hoje, vou usar o conhecimento aprendido na resenha de hoje.
Nigel Goddall, famoso biógrafo de celebridades do Reino Unido, escreve "O Mundo Secreto de Johnny Depp", onde vai narrar a trajetória de um dos mais respeitados atores de Hollywood.
Pode - se dizer que o livro começa num certo momento. O autor escolhe por começar o livro na premiação do Oscar de 2004, onde Johnny foi indicado como melhor ator em Piratas do Caribe - A Maldição do Pérola Negra junto com sua esposa Vanessa Paradis, onde ela faz uma declaração onde diz que Johnny é o homem que ela quer passar o resto de sua vida. Goddall usa esse acontecimento como uma introdução ao que está por vir.
Ele passa pela infância e adolescência de Depp com detalhes; desde quantas vezes se mudou, o período em que morou com seu avô até a sua rebeldia e seu problema com drogas. Nigel também dá destaque a banda em que Depp tocava na adolescência, seu primeiro casamento com uma mulher mais velha e quando conheceu Nicolas Cage e o empurrãozinho que Nicolas deu para o rumo ao estrelato.
Goddall fala da sua carreira, fazendo uma passagem pelo sucesso da série Anjos da Lei, que Johnny odiava fazer, mas que guinou sua carreira, suas indicações a Oscar por dois anos seguidos, a parceria e a amizade com Tim Burton que rende milhões e a franquia Piratas. O autor também diz sobre os turbulentos relacionamentos de Johnny com Winona Ryder, Kate Moss e como se aquietou depois que conheceu Vanessa e construiu uma família.
Minha experiência com biografias é pequena, essa é a segunda que eu leio. Tinha um preconceito com biografias porque achava elas muito paradas e cansativas, mas essa é até que bem dinâmica. Não sei se foi porque eu já conhecia a trajetória de Johnny (sou Deppmaníaca) e já sabia de grande parte de sua história, mas eu achei a organização bastante agradável, uma ordem cronológica bem feita (mesmo que ele comece com Piratas, a franquia volta no final com um capítulo apenas para Jack Sparrow), mas ele coloca alguns detalhes que eu não sabia e certos detalhes que me chamaram a atenção: o pequeno dicionário de cinema no final do livro - que pode ser lido antes -,  as indicações e os prêmios que Johnny recebeu e sua filmografia. Merece destaque o títulos dos capítulos e os subtítulos, ora com citações de Depp ou de Jornais falando sobre ele (achei interessantíssimo da parte do autor).
Há quem diga que biografias são para fãs ou entendidos do assunto, concordo em parte, mas eu indico a obra para os fãs, não fãs, entendidos e não entendidos do assunto.
Um beijo!

domingo, 13 de maio de 2012

Dia das Mães, Loucura Literária, Battleship

Te amo mãe!
Feliz Dia das Mães para todas as minha amigas mães e para as mães das minha amigas e, é claro, para minha MAMIS. Hoje é um dia de encher a pança e ficar paparicando a mamis.
Enfim, esse meu fim de semana até que foi divertido (geralmente passos os meus fim de semana em casa, sozinha).
Na sexta feira, comprei o presente de mamis, um DVD dos Elvis Presley (que, na verdade, também foi pra mim) e comprei 3 livros pra mim. Faz tempo que não compro tanto livro junto, mas eles estavam na promoção e eu aproveitei. Dá uma olhadinha aí:
As Aventuras de Sherlock Holmes
DOYLE, Arthur Conan - As Aventuras de Sherlock Holmes.
Sempre tive vontade de ler um livro do Sherlock e minha vontade aumentou depois de ver o filme com Bob Downey, mas nunca tive a oportunidade de comprar um livro, por que são muitos e eu sempre achava que não ia conseguir seguir uma ordem cronológica. Esse livro tem alguns contos e depois eu vou comprando outros.



Johnny Depp
WHITE, Danny - Johnny Depp
Todo mundo conhece meu amor pelo Johnny Depp e o livro estava também na promoção (já deu para perceber que eu amo promoções, certo?), juntou as duas coisas e mais um livro na cesta. Estou lendo outra biografia do Johnny, mas tive que parar porque essa semana tive prova, aí abandonei minha leitura, mas devo acabar essa semana e começar a ler os outros livros que estão na fila - mesmo porque minha mãe já se apoderou dele e começou a ler.


Supernatural - O livro dos Monstros,
Demônios, Espíritos e Ghouls.
IRVINE, Alex - Supernatural - O livro dos monstros, demônios, espíritos e ghouls.
Outro livro que eu sempre tive vontade de ler mas nunca tive a oportunidade (dinheiro) para comprar. Gosto muito de Supernatural, mesmo não tendo assistido muito ultimamente (não tenho assistido nada ultimamente, estava em provas como já disse) então estou meio desatualizada, mas devo me atualizar essa semana. Enfim, o comecinho que eu li, é bastante engraçado. Como se fosse narrado pelos Winchester.



Não só de livros foi meu fim de semana. Assisti, ontem com o meu amigo, Battleship - Batalha dos Mares, do diretor Peter Berg.
Elenco: Taylor Kitsch, Liam Neeson, Alexander Skargard, Josh Pence, Brooklyn Decker, Rihanna, Jesse Plemons, Peter MacNicol.
Quem nunca brincou de Batalha Naval? O filme é inspirado nesse brinquedo, só que com uma pegada de alienígenas e muito mais ação.
Não é um filme cabeça, é mesmo para assistir e esperar os seres humanos vencerem os alienígenas, mas vale a pena ver por causa do principal e do irmão dele (hunks). Dá uma olhadinha no Trailer.

Não vou falar mais sobre o filme porque, não tem muito o que falar (e vou contar o filme todo) e o post vai ficar muito grande. De novo, Feliz Dia das Mães, elas merecem. Beijo beijo

terça-feira, 8 de maio de 2012

Bonecas: American Girl

Olá amores, como vão? Sei que, mesmo no começo, dei uma abandonada no blog, mas foi por uma boa causa: estudar. Essa semana eu estou em provas na faculdade e acabei só podendo postar hoje. Enfim, hoje eu vou falar de uma das minha paixões: bonecas. Sério! Eu adoro bonecas; acho que são as coisas mais lindas. Eu coleciono Barbies e só não compro mais por falta de dinheiro e de lugares para comprar (às vezes comprar pela net fica salgaaaado para o meu bolso).
Uma das minhas bonecas é de uma linha chamada American Girl, que são típicas garotas americanas de certas épocas e que tem suas próprias histórias, amigas e desafios. Vou começar falando da minha e depois coloco outras.

A minha American Girl se chama Julie. Ela é uma garota típica dos anos 70 cujo a melhor amiga se chama Ivy. Ela se mudou para uma nova casa, teve que se afastar de sua melhor amiga e vai ter que começar a fazer amigos do zero.
A boneca vem com um livrinho, se você comprar o pacote "Doll & Book". E ainda tem mais itens próprios Julie, como roupa de aniversário, pijama, roupa de natal, até aqueles macacões floridos bem anos 70 ela tem. O legal, é que até móveis da Julie tem: cama, armário, mesinha, lancheira, bicicleta... A Ivy também tem roupas e acessórios específicos, que são muito lindos também.

A Julie e a Ivy são só uma das "Meninas". Elas são de várias épocas, desde Guerra Civil - que é a Addy até   a Segunda Guerra Mundial - a Molly e a Emily. Tem a Josefina, que é do Novo México; a Kaya, que é de uma tribo indígena; a Kit e a Ruthie, que viveram na Grande Depressão; a Cecilie e a Marie Grace; que são a antiga Nova Orleans e a Rebecca, que é judia.
Todo ano, é homenageada e lançada uma menina. A desse ano é a McKenna e ela é do Havaí.
Além das bonecas históricas, existem as bonecas que você monta como você quer, especificar qual esporte ela pratica, a cor do cabelo, dos olhos e ainda adicionar os acessórios para cuidado das bonecas e para enfeitá - las. Você pode colocar aparelho, óculos, gesso, até cadeira de rodas. Tudo isso para a boneca ficar parecida com a dona (o que eu acho muito legal. Não é muito divertido uma menininha que não pode andar ou que tem aparelho não poder comprar uma boneca igual a ela).

E, para quem não gosta de bonecas grandes, ainda tem os bebês. Eles são muito fofos e comprar tudo para ele - como o da foto, que está vestido para o Haloween.

O único problema é que o preço não é dos mais amigáveis. O kit da Boneca com o Livro está $102,00. E qualquer coisa que você queira para ela, você tem que comprar.
Não tem loja no Brasil (ahhhhh) e no site da loja diz que ela não entrega aqui ( a minha eu ganhei de presente), mas tem uma área no "International Shipping" que você pode entrar em contato com eles e negociar a venda para o Brasil.

Então, o que vocês acharam delas? Eu, se pudesse, comprava todas, de tão fofas.
Um grande beijo para vocês!!